30 de out de 2012
0 comentários

Furacão Sandy nas mídias sociais: como acompanhar relatos cidadãos e jornalísticos


furacao-sandy-midias-sociaisO furacão Sandy está recebendo ampla cobertura da imprensa internacional. Mas em tempos de mídias sociais e internet, os relatos e registros da catástrofe não se registrem aos jornalistas. Essas ferramentas possibilitam que, sentado em minha cadeira, no Brasil, sem muito esforço (mas bastante técnica) acompanhar ou mesmo “cobrir” o fato com riqueza de informações.

Nas mídias sociais, temos, além de notícias publicadas por veículos locais, registros do furacão em “primeira pessoa”, disponibilizado por quem está vivenciando a situação de perto, o que muitas vezes significa a ausência de filtros jornalísticos. Isso pode ser bom ou ruim, explico o porquê mais adiante.

Já não é novidade a eficiência do Twitter nessas horas. O mecanismo de tags combinado à agilidade e simplicidade do microblog possibilita o monitoramento de determinados assuntos facilmente. Com a aplicação de operadores e busca avançada, conseguimos obter resultados em tempo real, mais antigos, por localidade, etc. Mas nesse caso, vamos começar pelo simples: a hashtag #sandy, que ganhou uma página de evento.



Ainda seguindo o mecanismo de filtro por hashtag, o glamoroso Instagram também se dispôs a ajudar no registro do furacão Sandy. As hashtags #instacane, #sandy , #sandyhurricane e algumas outras nos levam direto à cobertura social da catástrofe na rede móvel.

Monitoramento no Facebook é um pouco mais chato se comparado ao Twitter e Instagram. Mesmo assim, com alguns cliques, coletamos muito material sobre o furacão. A própria rede social divulgou uma lista de palavras-chave mais usadas pelos americanos nesta semana. Utilize o Facebook Open Status Search para pesquisar.

1. Sandy / hurricane / Hurricane Sandy
2. stay safe / be safe
3. storm
4. weather
5. east coast
6. power
7. my friends
8. cold
9. prayers / praying
10. wind / winds

Se conteúdo audiovisual é o que te atrai, não tem problema. O Youtube está recheado de reportagens e filmagens amadoras, prontas para saciar nossa fome de informação sobre a #Sandy. Basta uma busca pela palavra-chave e, caso prefira, a alteração no filtro de busca, reorganizando os resultados por data de envio. O canal Citezen Tube, fruto de uma parceria do Youtube com o Storiful também é uma ótima opção.



Por fim, há transmissões ao vivo, sim, ao vivo, dos locais por onde ele passou/passará. No LiveStream há um canal dedicado ao furacão, que também conta com diversas informações mais detalhadas, além de posts
sobre o assunto selecionados de outras redes.





Preciso citar o Google Notícias? Sim. Uma busca nele trará um mar de conteúdo jornalístico sobre o furacão Sandy.

Para quem quer aprofundar no trabalho e realizar uma cobertura social do evento, indico o Storify, plataforma de curadoria e construção de estórias com base nas redes sociais.

Como lidar com informações falsas nas mídias sociais?

A falta de credibilidade das mídias sociais e mesmo da internet como um todo ainda é um problema. No furacão de informações publicadas a cada segundo sobre a catástrofe, há muita coisa falsa. Não temos bola de cristal para adivinhar o que é verdade ou mentira, mas com um pouco de maldade, conhecimento e atenção, é possível filtrar conteúdo autêntico. Desconfie, mas não pense que todos na web são mentirosos. Pesquise. 

Uma foto de tubarões numa estação de metrô publicada no Twitter é um exemplo. Sei que é falsa porque já li sobre ela há algum tempo. Esse também é o caso de algumas fotos fakes do furacão em Nova York. E se não soubesse?

tubaroes-estacao-sandy

Na dúvida, não publique, ou se publicar, seja sincero. Informe sobre a suposta autenticidade da informação, e vá mais além, convoque sua audiência para lhe ajudar a descobrir, incentive o debate, a colaboração. Afinal, mídia social é feita por pessoas, e nesse espaço, em tese, todos conversam com todos.


Sobre o Autor:
Guilherme Ludwig é o criador da Coluna Digital. Jornalista, encara a profissão como um estilo de vida. Seu objetivo é trabalhar com jornalismo digital focado na área de Tecnologia. Google+ - Twitter - Facebook - Site

0 comentários :

Postar um comentário

 
Toggle Footer
Top